• R. Gen. João Manoel, 407 Centro/POA-RS
  • Seg - Sex 6:30 - 22:00.

Arquivo tags: malhar gripado

Posso treinar gripado?

Aos poucos o verão vai se despedindo, as noites ficando mais frias e os resfriados chegando.

Fazer exercícios regularmente é uma excelente maneira de manter seu corpo saudável.

De fato, foi demonstrado que o exercício físico diminui o risco de doenças crônicas como diabetes e doenças cardíacas, ajuda a manter o peso sob controle e impulsiona o sistema imunológico.

Embora não haja dúvida de que o exercício desempenha um papel importante na saúde, muitas pessoas se perguntam se o exercício físico doente ajudará ou dificultará sua recuperação.

No entanto, a resposta não é preto e branco.

Este artigo explica por que às vezes não há problema em malhar quando você está doente, enquanto outras vezes é melhor ficar em casa e descansar.

Tudo bem se exercitar quando estiver doente?

Uma recuperação rápida é sempre o objetivo quando você está doente, mas pode ser difícil saber quando está tudo bem em seguir sua rotina normal de academia e quando é melhor tirar alguns dias de folga.

O exercício é um hábito saudável e é normal querer continuar se exercitando , mesmo quando você está se sentindo mal.

Isso pode ser perfeitamente adequado em certas situações, mas também prejudicial se você estiver enfrentando certos sintomas.

Muitos especialistas usam a regra “acima do pescoço” ao aconselhar os pacientes sobre a possibilidade de continuar exercitando-se enquanto estiver doente.

De acordo com essa teoria, se você estiver tendo apenas sintomas acima do pescoço, como nariz entupido, espirros ou dor de ouvido, provavelmente estará bem em se exercitar.

Por outro lado, se tiver sintomas abaixo do pescoço, como náusea, dores no corpo, febre, diarréia, tosse produtiva ou congestão no peito, você pode pular o treino até se sentir melhor.

Uma tosse produtiva é aquela em que você está tossindo catarro.

Alguns especialistas usam a regra “acima do pescoço” para determinar se é seguro trabalhar mal quando estiver doente. O exercício é provavelmente seguro quando os sintomas estão localizados do pescoço para cima.

Quando é seguro se exercitar

É provável que trabalhar com os seguintes sintomas seja seguro, mas sempre verifique com seu médico se não tiver certeza.

Resfriado leve

Um resfriado leve é uma infecção viral do nariz e da garganta.

Embora os sintomas variem de pessoa para pessoa, a maioria das pessoas com resfriado experimenta nariz entupido, dor de cabeça, espirros e tosse leve.

Se você estiver com um resfriado leve, não há necessidade de pular a academia se tiver energia para se exercitar.

Embora você sinta falta de energia para realizar sua rotina normal, considere reduzir a intensidade do seu treino ou diminuir sua duração.

Embora seja geralmente bom exercitar-se com um resfriado leve, lembre-se de que você pode espalhar germes para outras pessoas e causar doenças.

Praticar uma higiene adequada é uma ótima maneira de evitar espalhar seu frio para outras pessoas. Lave as mãos com frequência e cubra a boca quando espirrar ou tossir.

Dor de ouvido

Uma dor de ouvido é uma dor aguda, sem brilho ou ardente que pode estar localizada em um ou ambos os ouvidos.

Embora a dor de ouvido em crianças seja comumente causada por infecção, a dor de ouvido em adultos é mais comumente causada por dor que ocorre em outra área, como a garganta. Essa dor, conhecida como “dor referida”, é transferida para o ouvido.

A dor no ouvido pode ser causada por infecções dos seios nasais, dor de garganta, infecção nos dentes ou alterações na pressão.

Trabalhar com dor de ouvido é considerado seguro, desde que seu senso de equilíbrio não seja afetado e uma infecção tenha sido descartada.

Certos tipos de infecções no ouvido podem desequilibrá-lo e causar febres e outros sintomas que tornam o exercício inseguro. Verifique se você não tem uma dessas infecções de ouvido antes de iniciar o exercício.

No entanto, a maioria das dores de ouvido pode ser desconfortável e causar uma sensação de plenitude ou pressão na cabeça.

Embora o exercício seja provavelmente seguro quando você está com dor de ouvido, tente evitar exercícios que pressionem a região do seio.

Nariz entupido

Ter um nariz entupido pode ser frustrante e desconfortável.

Se estiver associado a febre ou outros sintomas, como tosse produtiva ou congestão no peito, considere tirar um tempo para malhar.

No entanto, não há problema em descobrir se você está tendo apenas congestão nasal.

De fato, fazer exercícios pode ajudar a abrir as passagens nasais, ajudando a respirar melhor.

Por fim, ouvir o seu corpo para determinar se você se sente bem o suficiente para se exercitar com o nariz entupido é a melhor aposta.

Modificar seu treino para acomodar seu nível de energia é outra opção.

Indo para uma caminhada rápida ou passeio de bicicleta são ótimas maneiras de permanecer ativo, mesmo quando você não está se sentindo à sua rotina habitual.

Sempre pratique uma higiene adequada na academia, especialmente quando você tem nariz escorrendo. Limpe o equipamento depois de usá-lo para evitar a propagação de germes.

Dor de garganta leve

Uma dor de garganta geralmente é causada por uma infecção viral como o resfriado comum ou gripe.

Em certas situações, como quando a dor de garganta está associada a febre, tosse produtiva ou dificuldade em engolir, você deve adiar o exercício até que um médico lhe diga que está tudo bem.

No entanto, se você estiver com uma dor de garganta leve causada por algo como um resfriado comum ou alergias, é provável que malhar.

Se você estiver tendo outros sintomas frequentemente associados a um resfriado comum, como fadiga e congestão, considere reduzir a intensidade de sua rotina de exercícios normal.

Reduzir a duração do seu treino é outra maneira de modificar a atividade quando você se sente bem o suficiente para o treino, mas não tem a sua resistência habitual.

Manter-se hidratado com água fria é uma ótima maneira de aliviar a dor de garganta durante o exercício, para que você possa adicionar atividades ao seu dia.

É provável que você se exercite quando estiver com um resfriado leve, dor de ouvido, nariz entupido ou dor de garganta, desde que não tenha sintomas mais graves.

Quando o exercício não é recomendado

Embora o exercício seja geralmente inofensivo quando você tem um resfriado ou dor de ouvido leve, não é recomendável se exercitar quando estiver com algum dos seguintes sintomas.

Febre

Quando você está com febre, a temperatura do seu corpo aumenta acima da faixa normal, que fica em torno de 37,5°C. A febre pode ser causada por muitas coisas, mas é mais comumente desencadeada por uma infecção bacteriana ou viral.

A febre pode causar sintomas desagradáveis, como fraqueza, desidratação, dores musculares e perda de apetite.

Malhar enquanto está com febre aumenta o risco de desidratação e pode piorar a febre.

Além disso, ter febre diminui a força e a resistência muscular e prejudica a precisão e a coordenação, aumentando o risco de lesão.

Por esses motivos, é melhor pular a academia quando estiver com febre.

Tosse produtiva ou frequente

Uma tosse ocasional é uma resposta normal a substâncias irritantes ou fluidas nas vias aéreas do corpo e ajuda a manter o corpo saudável.

No entanto, episódios mais freqüentes de tosse podem ser sintomas de uma infecção respiratória, como resfriado, gripe ou até pneumonia.

Embora uma tosse associada a cócegas na garganta não seja um motivo para pular a academia, uma tosse mais persistente pode ser um sinal de que você precisa descansar.

Embora uma tosse seca e esporádica possa não prejudicar sua capacidade de realizar certos exercícios, uma tosse produtiva e frequente é motivo para pular um treino.

Uma tosse persistente pode dificultar a respiração profunda, principalmente quando a frequência cardíaca aumenta durante o exercício. Isso aumenta a probabilidade de você ficar sem fôlego e cansado.

Uma tosse produtiva que expele catarro ou escarro pode ser um sinal de infecção ou outra condição médica que requer descanso e deve ser tratada por um médico.

Além disso, a tosse é uma das principais formas de propagação de doenças como a gripe. Ao ir à academia quando está com tosse, você corre o risco de ser exposto a outros germes.

Indisposição digestiva (Virose)

Doenças que afetam o sistema digestivo, como a gripe estomacal, podem causar sintomas graves que tornam o exercício fora dos limites.

Náuseas, vômitos, diarréia, febre, cólicas estomacais e diminuição do apetite são sintomas comuns associados a virose.

Diarréia e vômito colocam você em risco de desidratação, que a atividade física piora.

Sentir-se fraco é comum quando você tem uma doença no estômago, aumentando a chance de lesões durante um treino.

Além disso, muitas doenças estomacais, como a gripe estomacal, são altamente contagiosas e podem ser facilmente transmitidas a outras pessoas.

Se você se sentir inquieto durante uma doença no estômago, alongamentos leves ou ioga em casa são as opções mais seguras.

Sintomas de gripe

A gripe é uma doença contagiosa que afeta o sistema respiratório.

A gripe causa sintomas como febre, calafrios, dor de garganta, dores no corpo, fadiga, dor de cabeça, tosse e congestão.

A gripe pode ser leve ou grave, dependendo do nível de infecção, e pode até causar a morte em casos graves.

Embora nem todas as pessoas que contraem a gripe experimentem febre, as que sofrem têm um risco aumentado de desidratação, tornando o trabalho uma má ideia.

Embora a maioria das pessoas se recupere da gripe em menos de duas semanas, a escolha de se exercitar intensamente enquanto doente pode prolongar a gripe e atrasar sua recuperação.

Isso ocorre porque o envolvimento em atividades de maior intensidade, como corrida ou aula de spin, suprime temporariamente a resposta imune do corpo.

Além disso, a gripe é um vírus altamente contagioso que se espalha principalmente através de pequenas gotículas que as pessoas liberam no ar quando falam, tossem ou espirram.

Se você for diagnosticado com gripe, é melhor relaxar e evitar o exercício enquanto estiver com sintomas.

Se você estiver enfrentando sintomas como febre, vômito, diarréia ou tosse produtiva, tirar uma folga da academia pode ser a melhor opção para sua própria recuperação e a segurança de outras pessoas.

Quando é bom voltar à sua rotina?

Muitas pessoas estão ansiosas para voltar à academia depois de se recuperar de uma doença – e por boas razões.

O exercício regular pode reduzir o risco de adoecer em primeiro lugar, aumentando seu sistema imunológico.

No entanto, é importante deixar seu corpo se recuperar completamente de uma doença antes de retornar à sua rotina de exercícios, e você não deve se estressar, mesmo que não consiga se exercitar por um longo período de tempo.

Enquanto algumas pessoas se preocupam com o fato de que alguns dias de folga na academia os atrasem e causem perda de músculos e força, esse não é o caso.

Muitos estudos mostram que, para a maioria das pessoas, a perda muscular começa após aproximadamente três semanas sem treinamento, enquanto a força começa a diminuir em torno da marca de 10 dias.

À medida que os sintomas desaparecem, comece gradualmente a introduzir mais atividade física no seu dia, tomando cuidado para não exagerar.

No seu primeiro dia de volta à academia, comece com um treino mais curto e de baixa intensidade e não se esqueça de se hidratar com água durante o exercício.

Lembre-se de que seu corpo pode estar se sentindo fraco, especialmente se você estiver se recuperando de uma doença estomacal ou gripe, e é importante prestar atenção em como está se sentindo.

Se você está se perguntando se consegue se exercitar com segurança enquanto se recupera de uma doença, consulte seu médico.

Além disso, mesmo que você esteja se sentindo melhor, lembre-se de que ainda poderá espalhar sua doença para outras pessoas. Os adultos podem infectar outras pessoas com gripe até sete dias após os primeiros sintomas da gripe.

Embora o retorno ao ginásio após uma doença seja benéfico para a saúde geral, é importante ouvir seu corpo e seu médico ao decidir se você está bem o suficiente para atividades mais intensas.

Esperar até que os sintomas diminuam completamente antes de voltar gradualmente à sua rotina de exercícios é uma maneira segura de voltar ao exercício após uma doença.

A linha inferior

Ao experimentar sintomas como diarréia, vômito, fraqueza, febre ou tosse produtiva, é melhor descansar o corpo e tirar um tempo da academia para se recuperar.

No entanto, se você tiver um resfriado leve ou estiver com alguma congestão nasal, não há necessidade de jogar a toalha no treino.

Se você está se sentindo bem o suficiente para se exercitar, mas não possui a energia habitual, reduzir a intensidade ou a duração do treino é uma ótima maneira de se manter ativo.

Dito isto, para manter-se saudável e seguro quando estiver doente, é sempre melhor ouvir seu corpo e seguir o conselho do seu médico.